FacebookTwitterInstagramYouTube

Quinta, 05 Março 2015

Obra de R$ 25,8 bilhões, Norte-Sul opera apenas em 39,35% do total de km previstos

Obra de R$ 25,8 bilhões, Norte-Sul opera apenas em 39,35% do total de km previstos
Ferrovia tem 1.574 km de trilhos em funcionamento; total previsto é de 4 mil km (foto: Reprodução)

Cristiano Machado
DE PALMAS
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Tatielle Mello
Especial para o NorteAgroTO

Concebida há quase 30 anos como forma de interligar nove Estados brasileiros por um meio de transporte com custo mais baixo, a ferrovia Norte-Sul opera apenas com 39,35% da capacidade. Isso significa que, dos 4.000 km previstos da obra avaliada em R$ 25,8 bilhões, 1.574 km estão disponíveis para receber as locomotivas.

Apesar do funcionamento do trecho de Anápolis (GO) a Palmas (TO), a Valec informa que a normalização do trecho só deve ocorrer a partir de julho, devido a finalização de alguns detalhes, como a definição das empresas responsáveis pela manutenção e segurança.

LEIA TAMBÉM:

Operação da ferrovia Norte-Sul deixa classe produtiva do TO otimista 

Setor de carnes não terá tanto impacto positivo, avalia Oswaldo Stival

O trecho de 855 km entre Anápolis (GO) a Palmas (TO) é considerado um dos principais investimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Ao todo, essa primeira etapa das operações prevê o transporte de 18 locomotivas. A operação marca o novo modelo de livre acesso à infraestrutura ferroviária. Essas novas regras prevêem que a estatal Valec venderá a capacidade operacional dos trechos sob sua administração para empresas. Essas deverão cumprir requisitos técnicos para terem acesso à infraestrutura. Pelo modelo anterior, as cargas transportadas nas ferrovias eram comercializadas pelas próprias concessionárias, que estabeleciam seus preços.

A Valec informou que recebeu no mês passado da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) última licença necessária para a operação comercial entre Palmas e Anápolis. Com isso, todo o trecho passa a estar apto e seguro para a operação das composições ferroviárias.

Norte Agropecuário

FacebookTwitterInstagramYouTube