FacebookTwitterInstagramYouTube

Sexta, 03 Março 2017

Com 3 mil hectares destinados ao cultivo, agricultores familiares do Tocantins produzem cerca de 50 mil toneladas de mandioca por ano

Com 3 mil hectares destinados ao cultivo, agricultores familiares do Tocantins produzem cerca de 50 mil toneladas de mandioca por ano
Agricultores familiares do Tocantins são os maiores produtores (foto: Juliano Ribeiro/SeagroTO/Arquivo)

A mandioca foi eleita pela Organização das Nações Unidas o alimento do século 21. Barata, resistente, nutritiva e cheia de carboidratos especiais, essa raiz é cultivada de norte a sul no Brasil. A produção desse importante alimento vem crescendo no Tocantins, chegando em 2017, com cerca de três mil hectares de área plantada, produção anual de aproximadamente 50 mil (49.730) toneladas e produtividade média de mais de 17 toneladas por hectare, de acordo com dados do IBGE 2016.

Os principais municípios produtores são: Porto Nacional, Santa Rita do Tocantins, Ponte Alta do Tocantins, Monte do Carmo, Pindorama, Fátima, Santa Tereza do Tocantins, Santa Rosa, Brejinho de Nazaré e Novo Acordo.

Com um plantio de cerca um hectare, no projeto São João, município de Porto Nacional, o agricultor familiar José Martins mostra que é possível produzir mais e com qualidade. Ele espera colher uma média entre 18 a 20 toneladas por hectare. E afirma que: “Para obter uma boa produtividade nas culturas é preciso ter cuidado com o manejo, desde a irrigação, adubação e qualidade das manivas”.

A comercialização também está garantida, o produtor vende a maior parte da produção para os programas institucionais do governo, escolas e feiras livres. “O excedente faço farinha de mesa, farinha de puba e bolos para melhorar a alimentação em casa”, afirma.

POLÍTICAS PÚBLICAS

O Governo do estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro) fomenta a cadeia produtiva da mandioca, por meio de políticas públicas voltadas aos agricultores familiares, contribuindo para que atividade se torne lucrativa para o produtor. Entre as políticas de incentivo estão, 30 Unidades Demonstrativas de Mandioca (UD’s), instaladas em diferentes municípios do estado, com plantios de mandioca para gerar manivas de qualidade. As mudas, livres de vírus e doenças, são distribuídas para os produtores rurais. A proposta é a de fortalecer o desenvolvimento da cadeia produtiva de mandioca no Tocantins.

A iniciativa integra o programa Reniva (Rede de multiplicação e transferência de manivas-semente de mandioca com qualidade genética e fitossanitária). “O trabalho é desenvolvido, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Ministério Agrário e Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins), entre outros parceiros, no sentido de fornecer um material genético de alta qualidade, para que os produtores utilizem esse material em plantios, aumentando assim a produtividade da mandioca no estado”, destaca o gerente de Assistência Técnica e Extensão Rural da Seagro, José Carlos Moraes.

SEMINÁRIO EM PALMAS

A Secretaria da Agricultura incentiva ainda através de capacitação, fóruns, seminários e dias de campo. Como o Seminário Estadual sobre a Cadeia Produtiva da Cultura da Mandioca: Cenário atual e oportunidades para o Desenvolvimento da Cultura da Mandioca no Estado do Tocantins, que será realizado nesta segunda-feira, 06, a partir das 13h. O evento acontece no auditório do Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado do Tocantins (OCB-TO), na avenida JK, em Palmas.

OUTRAS INICIATIVAS

Também entre as iniciativas estão o programa Terra Forte, que auxilia os produtores nos plantios de suas culturas com o empréstimo de tratores às prefeituras e associações de agricultores. E ainda apoio com transporte gratuito do calcário, para correção da acidez dos solos, além de serviços de extensão rural, com disseminação de informação, orientação ao produtor e acompanhamento da produção, por meio do Ruraltins. (Da SeagroTO)

Norte Agropecuário

FacebookTwitterInstagramYouTube