FacebookTwitterInstagramYouTube

Domingo, 09 Outubro 2016

Piauí reage à extinção de departamento do Matopiba: “Estava previsto muito investimento”, lamenta diretor da SDR do Estado

Piauí reage à extinção de departamento do Matopiba: “Estava previsto muito investimento”, lamenta diretor da SDR do Estado
Diretor de superintendência agrícola do Piauí vê prejuízo com fim de departamento (foto: Paulo Barros/SecomPI)

CRISTIANO MACHADO
DE PALMAS
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

Enquanto os governos dos Estados do Maranhão e Bahia se calam, o Piauí reagiu à extinção do Departamento de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba, um decisão do governo federal que vale a partir do próximo dia 19. O posicionamento mais contundente sobre o tema revelado pelo Norte Agropecuário veio do diretor de crédito fundiário da Superintendência Desenvolvimento Rural (SDR), Adalberto Pereira.

"Estava previsto muito investimento, principalmente na área de logística, com projetos na área de energia, transporte, mobilidade para transporte de produção. Na região havia, inclusive, investidores estrangeiros como é o caso do Japão. Os velhos tempos começam a aparecer, tempos em que o Nordeste e o Norte eram excluídos", desabafou. A declaração foi dada à TV Cidade Verde, do Piauí.

VEJA TAMBÉM: Governo extingue departamento do Matopiba

Plano do Matopiba está parado na Câmara dos Deputados

Mapa deixa governadores à margem de reformulação do Matopiba

CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS SOBRE MATOPIBA

Revelada pelo Norte Agropecuário, a extinção do departamento responsável por, entre outras atribuições, realizar estudos, executar programas das atividades agrícolas na região, atuar em relação à infraestrutura logística e dar apoio à inovação tecnológica no campo foi publicada no Diário Oficial da União de 20 de setembro. Trata-se do decreto 8.852, assinado pelo então presidente interino Rodrigo Maia, que preside a Câmara dos Deputados. Michel Temer, na época efetivado como substituto de Dilma Rousseff, estava em missão oficial à Ásia. A proposta estabeleceu nova estrutura de cargos e funções do Ministério da Agricultura, com a extinção de 476 cargos.

BAHIA E MARANHÃO

Dos quatro Estados que formam a fronteira agrícola, apenas Tocantins e Piauí se manifestaram oficialmente sobre o tema. Antes do Piauí, já havia ocorrido manifestação ao Norte Agropecuário do governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB).

Questionado pelo Norte Agropecuário no dia 30 de setembro sobre sua posição, Miranda optou por uma resposta dúbia, que tende a ser favorável ao governo Temer, seu aliado. Na nota enviada por sua assessoria de imprensa, Miranda afirmou que o país “vive um momento de ajustes em todos os setores” e que o objetivo do governo federal é “o desenvolvimento do país como um todo”. “O objetivo maior do governo federal é o desenvolvimento do País como um todo. É isso que estamos presenciando com o governo do presidente Michel Temer. O Brasil vive um momento de ajustes, em todos os setores, de modo que eu acredito que a União, por meio do Ministério da Agricultura, continuará a tratar do tema com muita atenção”, declarou.

Também questionados, os governos estaduais do Maranhão e da Bahia não responderam ao Norte Agropecuário até o momento. 

Norte Agropecuário

FacebookTwitterInstagramYouTube